Mais de 10 pessoas são presas em flagrante em operação contra pornografia infantil na Bahia

Realizada pelo Ministério Público do Estado (MP-BA), ação foi deflagrada em 7 cidades. Computadores, tablets, aparelhos celulares, documentos e outros objetos foram apreendidos.

Onze foram presas entre a madrugada e a manhã desta quinta-feira (31), em sete cidades baianas, durante uma operação contra pornografia infantil.

De acordo com o Ministério Público do Estado (MB-BA), os suspeitos foram flagrados enquanto eram cumpridos mandados de busca e apreensão.

As prisões ocorreram nas cidades de Salvador, Alagoinhas, Aratuípe, Baianópolis, Cruz das Almas, Feira de Santana e Simões Filho. Contudo, o número de detidos em cada município não foi divulgado.

Segundo o MP, computadores, tablets, aparelhos celulares, documentos e objetos usados para a prática de pedofilia foram apreendidos com os presos.

Batizada de “Operação Dirty Web”, a ação é voltada a reprimir delitos de armazenamento, troca, disponibilização, transmissão e comercialização de imagens e vídeos que contenham cenas de sexo explícito ou pornográficas envolvendo crianças e adolescentes.

“Foi encontrado [em uma cidade da Bahia]o que parece ser um mini estúdio que faz a produção dessas imagens, mas o que a gente tinha de efetivo é que havia essa transmissão, essa disponibilização, armazenamento dessas imagens que foram baixadas através da internet e há também essa possibilidade de produção. Isso tudo será mapeado e avaliado. As investigações continuam”, explicou a promotora de Justiça Ana Emanuela Meira.

A ação foi realizada pelo MP, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco) e da 1ª Promotoria de Justiça de Itamaraju. Até por volta de 8h, a operação continuava em curso.

Conforme o MP, os mandados foram expedidos pela 1ª Vara dos Feitos Relativos a Delitos Praticados contra Criança e Adolescente da Capital, pela 2ª Vara Criminal de Alagoinhas, pelas Varas Criminais de Nazaré, Baianópolis e Cruz das Almas e pela 1ª Vara Criminal de Feira de Santana e Simões Filho.

A investigação contou com o apoio técnico da Divisão de Capturas do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (DECADE/PCSP), da Coordenadoria de Segurança Institucional e Inteligência do Ministério Público do Estado da Bahia (CSI) e do Departamento de Polícia Técnica do Estado da Bahia (DPT).

Colaboraram com a ação a Polícia Civil, através do Departamento de Polícia do Interior (DEPIN), do Comando de Operações Especiais (COE), do Departamento de Polícia Metropolitano (DEPOM) e do Departamento de Crimes contra o Patrimônio (DCCP), além de diversos promotores de Justiça do Estado, que auxiliaram no cumprimento dos mandados.

Fonte:G1 Bahia

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: