Após conquista de medicamentos, Dra. Raíssa Soares é demitida do HDLEM

Principal divulgadora e mentora do Protocolo de Saúde de Porto Seguro, Dra Raissa Soares (Médica Clínica Geral, UTI e CTI), teve a sua demissão comunicada pelo Hospital Regional Deputado Luís Eduardo Magalhães, única estrutura equipada com 10 UTIS para servirem de assistência a casos graves de coronavírus, atendendo cerca de 12 municípios, ou seja, quase 500.000 pessoas. Coincidentemente, tal fato, ocorreu no mesmo período em que a médica ganhou evidência nacional por divulgar, com eficácia, um tratamento à base de hidroxicloroquina na fase inicial do combate ao COVID19, apontando 100% de recuperação em todos os casos que passaram por este protocolo. Vale ressaltar que a garantia do sucesso ao tratamento se dá pela combinação com outros medicamentos e vitaminas como ivermectina, azitromicina, vitamina C, vitamina D e Zinco, com gramaturas especificas que somente um profissional médico pode indicar.

O HDLEM, posicionado-se com a argumentação de que o contrato estava vencido a um tempo, e ainda assim a médica continuava atuando, seguiu na contramão dos diversos apelos do Secretário Estadual de Saúde, Fábio Villas Boas, que afirmou no dia 13 de maio deste ano: “Após 3 dias de chamamento, com edital publicado até na Folha de S.Paulo, continuamos com baixíssima procura. Apenas 80 médicos para uma remuneração entre R$12 e 19 mil reais por mês, para carga horária de 24 a 30h semanais”, este ainda complementou a fala “Depois dizem que tem médicos sobrando na Bahia”. Na mesma época, vários profissionais de saúde confrontaram que não se interessavam pelas vagas devido ao grande índice de atrasos de salários do governo do estado para a classe, como de fato tem ocorrido em Porto Seguro também.

A comprovação de que a falta de profissionais de saúde da área médica em Porto Seguro é tão necessária, que a própria prefeitura publicou no Diário Oficial do município, no dia 09 de junho, um edital de convocação para 3 vagas de médicos de emergência, que até o momento não foram preenchidas devido ao baixo salário oferecido. A pergunta que não quer calar: a Dra Raissa Soares tem feito uma campanha em prol da vida, pedindo ajuda a todos que puderem colaborar com medicamentos, sejam empresários, cidadãos e até o presidente. Se diante de uma pandemia, o próprio Estado e Município reconhecem a necessidade URGENTE de profissionais médicos para atuarem nos hospitais e UPAS, o que justifica a demissão de uma profissional que tem tido os melhores resultados alcançados ou divulgados em combate ao Coronavírus, sendo, provavelmente, inclusive referência nacional.

Fonte: AGazetta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: