‘Coronavoucher’ deve chegar primeiro a cadastrados no Bolsa Família, no dia 16

O pagamento do auxílio emergencial do governo deve começar a partir do dia 16 de abril, segundo o Ministério da Cidadania. Os primeiros beneficiados serão os que já recebem o Bolsa Família, por já estarem nas bases de dados do governo.

Aprovado pelo Senado nesta segunda (30), o chamado “coronavoucher” será de R$ 600 para desempregados e trabalhadores informais atingidos pela crise gerada pelo novo coronavírus. O valor pode chegar a R$ 1.200 em famílias chefiadas por mulheres. O projeto ainda deve ser sancionado pelo presidente da República.

Caso não haja tempo para viabilizar o auxílio até essa data, o ministério considera a possibilidade de rodar uma folha extra de pagamento para agilizar a liberação. Os beneficiários receberão apenas a ajuda de maior valor — caso seja o auxílio emergencial, ele substituirá o Bolsa Família temporariamente. O programa tem hoje mais de 14 milhões de famílias.

Ainda não há orientação para os demais trabalhadores que pretendem pleitear o auxílio emergencial. 
De acordo com a pasta, a solução para registrar os cidadãos deve ser apresentada até a quinta-feira (2). Há preocupação em torno de declarações presenciais, já que o isolamento social é recomendado pelas autoridades de saúde para frear o contágio da COVID-19.

Hoje, não há registro da administração pública que compreenda os trabalhadores informais, o que dificulta a operacionalização do benefício. Por ese motivo, trabalhadores autônomos que contribuam para a Previdência e microempreendedores individuais (MEIs) devem ser favorecidos primeiro.

Fonte: CNN Brasil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: